Especiais | PDA
Newsletter
LOJAS:  Decoradores e Designers | Sofás | Mobiliario de Decoração

 
  Home
  Notícias
  Novidades
Marcas
Agenda
Livros
  Especiais
  Casas e Interiores
  Objectos
   & Ambientes
  Shopping
  Etiqueta
  Gourmet
  Gente
  Passatempo
  Directório de Lojas
  Fóruns
  Dicas prà troca
Falar Decoração
  Contactos
  Internet
Editorial
  Notícias RSS
  Jogue on-line
  Acção
Desporto
Plataformas
Puzzle
Shoot´Em Up
  PDA
 
Pesquisar
 
Subscrever
Máxima Interiores
Outras edições

MARCAS

Ver para Crere
2010-04-01 12:55:48

Vai ter a obra exposta no Moma, quando em Maio estrear a Destination Portugal. a Crere vai mostrar o que faz: estuques nacionais renovados.

Como surge a Crere e em que áreas actua?

A Crere existe desde 1989. Actuamos em cinco áreas: a conservação e restauro de património; o projecto e consultoria na área da conservação e restauro; o apoio na adaptação das artes tradicionais conciliadas com o trabalho de decoração; o desenvolvimento de produto; e venda isolada de objectos em estuque artístico.

Qual foi o vosso primeiro trabalho?

Em design de interiores, foi o restaurante Consenso, em Lisboa. Na área da conservação e restauro, a reabilitação do Teatro Nacional de S. João.

E que tipo de trabalho realizam mais vezes?

Grande parte das peças realizadas pela Crere passa pela conceptualização de um produto – as Tailor Made Walls – onde unidades da colecção (de estuques) são adaptadas em sistemas de repetição e criam ambientes. Em Maio, vão estar no MoMA, em Nova Iorque.

Como chegam até lá?

Tivemos um convite para apresentar as nossas peças na Destination Portugal. Fomos seleccionados e estamos representados por um conjunto de objectos relacionados com a nossa colecção de estuques. Os agentes do MoMA acharam que seria um risco levar as peças de estuque, pelo que decidiram por um conjunto de acessórios inspirados na dualidade forma/molde e molde/modelo.

São também responsáveis pelo Museu do Estuque.

O projecto do Museu do Estuque surge porque a Crere é a fiel depositária da Colecção da Oficina Baganha. Temos designadas como funções a necessidade de manter, preservar, conservar, restaurar e divulgar a colecção, o estuque artístico e artes decorativas complementares.

Mas essas funções não obrigam à formação de um núcleo expositivo.

Perante estas funções e perante uma colecção de cerca de 4000 peças que é complementada com uma biblioteca, a Crere desenvolveu uma plataforma, para a gestão da colecção, onde se estabeleceu a vontade de criar uma entidade: o Museu do Estuque.

E já se pode visitar?

O museu aguarda que algum organismo tenha a possibilidade de ceder um espaço. Para já, realizamos o 2.º Encontro Sobre os Estuques Portugueses, no Salão Árabe da Bolsa do Porto, a 28 e 29 de Abril.

www.crereportugal.com



A CRERE existe desde 1989. João Oliveira, Paulo Castro, Miguel Figueiredo privilegiam a experiência das arts & crafts nacionais, as matérias naturais e as recicláveis. Conservação e restauro, desenvolvimento de produto, consultoria e venda de objectos em estuque artístico são algumas das áreas em que actua.







Notícias por RSS




Anunciar on-line | Assinaturas | Contactos | Notícias por RSS | Promoções | Serviços Móveis Record | Serviços Móveis CM
ADSL.XL | Classificados | Emprego | Directórios | Jogos | Horóscopo | Tempo

Copyright © . Todos os direitos reservados. É expressamente proíbida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Edirevistas, S.A. , uma empresa Cofina Media - Grupo Cofina.
Consulte as condições legais de utilização.